sábado, 26 de maio de 2012

Objetivo do MRP na Logística


Posição do MRP na cadeia logística
Objetivo
A função principal do planejamento de necessidades de material (MRP) é assegurar a disponibilidade de material, isto é, suprir ou produzir as quantidades necessárias com antecedência, tanto para utilização interna, como para vendas e distribuição. Esse processo envolve a monitorização de estoques e, especialmente, a criação automática de propostas de pedidos para compras e produção.

MRP


Informação que integra um sistema MRP.
O MRP é um sistema computarizado de controle de inventário e produção que assiste a optimização da gestão de forma a minimizar os custos, mas mantendo os níveis de material adequados e necessários para os processos produtivos da empresa.
Este sistema possibilita às empresas calcularem os materiais dos diversos tipos que são necessários e em que momento, assegurando os mesmo que sejam providenciados no tempo certo, de modo a que se possa executar os processos de produção. O MRP utiliza como informação de input os pedidos em carteira, assim como a previsão das vendas que são provêm da área comercial da empresa (Resumo MRP).

[editar]Componentes de um sistema MRP 

  • Sistema computadorizado;
  • Sistema informativo de produção;
  • Inventário de produção;
  • Calendário de produção;
  • Sistema de gestão de 'inputs' (entrada) para produção.
  • Sistema de previsão de falhas produtivas

[editar]Parâmetros fundamentais

Os parâmetros fundamentais em que um sistema MRP assenta (MRP - Planejamento das necessidades dos materiais):
  • Políticas e dimensão do lote:
    • política de lotes mínimos
    • política de lotes máximos
    • política de períodos firmes
  • Stock de Segurança
  • Lead time
  • Unidade de medida

[editar]Dados de Entrada do MRP

Os dados utilizados num sistema MRP provêm (Carravilla, 1997):
  • Plano Director de Produção (PDP);
  • Inventário geral;
  • Estrutura dentada dos produtos.

Exemplo de um Plano Director de Produção.

[editar]Plano Director de Produção (PDP)

O plano director de produção permite-nos saber (Carravilla, 1997):
  • O que produzir;
  • Quando produzir;
  • O plano de produção alcançado através de previsões de vendas e encomendas firmes;
  • A dimensão suficiente do horizonte temporal de planeamento de modo a englobar os [lead time|lead-times] de todos os componentes integrantes nos produtos finais.

[editar]Inventário Geral

O inventário geral contém informação sobre (Carravilla, 1997):
  • As existências disponíveis em armazém;
  • Necessidades brutas;
  • Recepções programadas;
  • Início das encomendas/ordens de fabrico dos produtos;
  • Tamanho dos lotes;
  • Lead-times;
  • Níveis de estoques de segurança;
  • Níveis limite de produtos defeituosos;
  • Alterações diárias.

[editar]Estrutura dentada dos produtos

Todos os produtos da linha de produção devem ser "expandidos" ao nível dos seus componentes, subcomponentes e peças (Conceitos básicos de MRP, MRPII e ERP). A estrutura dentada dos produtos possui (Carravilla, 1997):
  • Dados sobre cada componente ou grupo necessário para a produção de produtos finais, discriminando:
    • Referência;
    • Descrição;
    • Quantidades.
  • Definir a partir da necessidade do produto, as necessidades dos componentes.
[editar]Estrutura de materiais de nível único
Este tipo de estrutura possui (MRP - Manufacturing Resource Planning):
  • Único Nível;
  • Itens;
  • Quantidades dos itens filhos.
[editar]Estrutura de materiais escalonado
Este tipo de estrutura possui (MRP - Manufacturing Resource Planning):
  • Vários níveis;
  • Itens iguais em diversos pontos da estrutura;
  • Itens processados;
  • Item adquiridos;
  • Lista de materiais do planeamento agregado.

[editar]Dados de saída do MRP

Os dados que um sistema MRP tem como output (Carravilla, 1997):
  • Para o planeamento (Plano Director da Produção);
    • Conclusões da simulação de um Plano Director da Produção;
    • Informação da ordem de encomendas por satisfazer.
  • Para a gestão;
    • Indíces de performance.
  • Para o CRP;
    • Dados sobre novas de ordens de fabrico.
  • Para Compras e a Produção;
    • Confirmação das ordens de fabrico.

[editar]Quando utilizar o MRP 

Os sistemas MRP são usualmente implementados quando uma ou mais condições das seguintes se verificam:
  • Quando a utilização (procura) de material é descontinua ou altamente instável durante o ciclo normal de operação de uma empresa. Esta situação é tipicamente classificada como produção intermitente ou operação job shop, ao contrário de um processo continuo de produção ou mesmo produção em série;
  • Quando a procura de material depende directamente da produção de produtos acabados ou de outro inventário específico. O MRP I pode ser visto como componente primário do planeamento da produção onde, a procura pelos componentes ou materiais depende da procura do produto final;
  • Quando o departamento de compras e os seus fornecedores, bem como as próprias unidades de produção da empresa possuem a flexibilidade para satisfazer encomendas e entregas semanalmente.

[editar]Vantagens do MRP

Algumas das vantagens de um sistema MRP (Mesquita):
  • Diminuição dos estoques;
  • Controle Melhor da produção e das encomendas;
  • Processo Hierárquico;
  • Integração das várias áreas funcionais (ERP);
  • Estrutura formal de dados e procedimentos;
  • Simulações;
  • Integração JIT/MRP.

[editar]Desvantagens do MRP

O MRP I tem alguns contratempos e desvantagens que devem ser examinados minuciosamente por qualquer empresa que considere adoptar o sistema em questão. O MRP I não tem tendência a optimizar os custos de aquisição dos materiais. Como os níveis de stock são estabelecidos ao mínimo possível, os materiais têm que ser comprados em quantidades pequenas e de uma forma mais frequente, o que resulta num incremento dos custos de aquisição (ou também conhecidos como custos de aprovisionamento). Maiores custos de transporte são causa efeito visto que, a empresa está menos apta a descontos de encomendas de grandes quantidades. A empresa tem que comparar antecipadamente a redução nos seus custos de posse de material em stock face aos aumentos nos custos associados a encomendas frequentes e de pequenas quantidades.
Outra desvantagem do MRP I é o potencial perigo duma redução ou mesmo paragem da produção que pode adver de factores como problemas de entrega não previstos e escassez de material. A existência dum stock de segurança fornece à produção alguma protecção contra imprevistos. Como os stocks de segurança são reduzidos, este nível de protecção é perdido. A desvantagem final do MRP I é devido à utilização de pacotes de software standardizados que, podem ser dificeis de adaptar a situações específicas de produção de uma determinada empresa. O software tem então que ser adaptado e modificado pela empresa de forma a que consiga satisfazer as necessidades únicas de determinada situação.
Estas desvantagens podem ser facilmente eliminadas através de uma parametrizacao do software utilizado. Nele podem ser definidos estoques de seguranca e lotes minimos de compra, que reduziriam dramaticamente os efeitos citados acima

Referências

  • LOCKE, Dick - Global supply management: a guide to international purchasing . Chicago, IL: Irwin, 1996. ISBN 0-7863-0797-8
Maria Eugênia Rodrigues dos Santos

27 comentários:

  1. Conceito básico de MRP...

    O MRP, ou planejamento de necessidades de materiais é um sistema lógico de calculo que converte a previsão de demanda em programação da necessidade de seus componentes. A partir do conhecimento de todos os componentes de um determinado produto e os tempos de obtenção de cada um deles, podemos, com base na visão de futuro das necessidades, calcular o quanto e quando se deve obter de cada item, de forma que não haja falta e nem sobra no suprimento das necessidades da produção.
    Atualmente um conceito mais amplo do MRP e que leva a mesma lógica é o MRPII (manufaturing resources planning), que além das quantidades e momentos de aquisição ou fabricação de cada item, são calculados e planejados os recursos a serem utilizados, como a capacidade de máquina, os recursos humanos necessários, os recursos financeiros, etc.

    ResponderExcluir
  2. Ricardo Alves.
    Atualmente, sobretudo com as contribuições da Abordagem Neoclássica da Administração, em que um dos maiores nomes é Peter Drucker, os princípios foram retrabalhados e são conhecidos como Planejar, Organizar, Dirigir e Controlar (PODC).
    Atualmente os princípios da Administração são Planejar, Organizar, Dirigir e Controlar (PODC), não por acaso, o planejamento segue a frente dos demais, organizar, dirigir e controlar sem um planejamento torna-se tarefs árdua e até mesmo impossível.
    Aprendemos no curso de Administração que para tudo que se faz é preciso um planejamento, até quando não percebemos estamos planejando, em nossas casas na realização das tarefas domesticas e compra e reposição de alimentos e materiais, ao escolhermos a forma de deslocamento que nos possibilitará chega à universidade, tipo de transporte, custo, tempo gasto, etc.
    Sem perceber acabamos aplicando conceitos do MRP, nestes casos de fazemos de forma simples previsões e tomadas de decisões de cabeça mesmo, mas quando se trata de uma empresa grande com muitos produtos é necessário um sistema que possa nos auxiliar, podendo ajudar nas decisões cabíveis, por exemplo, o MRP II.
    1. CALCULO DAS NECESSIDADES DE MATERIAIS
    Um dos grandes segredos para uma empresa ser bem sucedida, é um bom planejamento, uma boa logística. Depoimentos contam que uma empresa chegou a diminuir 55% do valor do inventario, apenas melhorando a logística. É um exemplo claro de que o estudo individual de cada atividade, de cada prioridade, de cada projeto, deve ser estudado tendo em vista sempre a logística.
    Neste contexto o MRP (planejamento das necessidades de materiais) surge como uma grande questão a ser entendida, desenvolvida, adaptada e implementada na empresa.
    O MRP, ou planejamento de necessidades de materiais é um sistema lógico de calculo que converte a previsão de demanda em programação da necessidade de seus componentes. A partir do conhecimento de todos os componentes de um determinado produto e os tempos de obtenção de cada um deles, podemos, com base na visão de futuro das necessidades, calcular o quanto e quando se deve obter de cada item, de forma que não haja falta e nem sobra no suprimento das necessidades da produção. Atualmente um conceito mais amplo do MRP e que leva a mesma lógica é o MRPII (manufaturing resources planning), que além das quantidades e momentos de aquisição ou fabricação de cada item, são calculados e planejados os recursos a serem utilizados, como a capacidade de máquina, os recursos humanos necessários, os recursos financeiros, etc.
    O MRP realiza cálculos por meio da projeção de inventários em função do planejamento da produção. Um dos pontos importantes é o tempo de resposta do sistema, qualquer replanejamento que venha a ser necessário é facilmente visualizados os seus impactos nos inventários, mostrando a viabilidade de tal replanejamento assim como as alterações que serão necessárias para atender os objetivos. O MRP trabalha com as necessidades exatas de cada item, melhorando assim o atendimento aos consumidores, minimizando os estoques em processo e aumentando a eficiência da fábrica, obtendo assim, menores custos e conseqüentemente alcançando melhores margens de lucro. Mas para tudo isso, é fundamental que sejam estabelecidos corretamente todos os parâmetros do sistema.
    De modo geral, a implantação de um sistema MRP visa:
    •Diminuir custos de estocagem e movimentação
    Tempo de vida e controle de validade em casos de produtos perecíveis. Além disto, o produto pode sofrer alterações de modelo, por exemplo.
    •Atendimento ao cliente.
    •Diminuir a improdutividade. A produtividade pode ser atingida e afetada por falta de materiais, tempo de preparação, quebra de máquina, hora extra, variação na equipe, etc.
    •Previsibilidade, incluindo a manutenção dos equipamentos, a previsão de compras e produção.
    •Capacidade da instalação para o atendimento, ou seja, a capacidade de atendimento ao cliente.
    •Diminuir o custo de materiais e transporte.
    •Diminuição do custo de obtenção.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. O grupo está de parabéns, pois o MRP permite avaliar o material de determinado tipo e sua necessidade, fazendo sua previsão de demanda a partir dos itens de cada produto e o tempo de obter cada um deles, assim não deixando a produção parar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Josseano pelos elogios à equipe, continue postando suas opiniões sobre o conteúdo abordado, lançamos o caso da "nova empresa de amor ", leia voçê vai gosta da explicação.

      Excluir
  5. PESSOAL da equipe de MRP, favor fazerem Suas pastagens.

    ResponderExcluir
  6. Eugênia
    Achei este vídeo interessante: http://www.youtube.com/watch?v=kFTCMABQ6PA

    ResponderExcluir
  7. O MRP possibilita a organização do processo logístico otimizando os resultados,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elizet continue postando suas opiniões sobre o conteúdo abordado. Lançamos o caso da "nova empresa de amor ", leia voçê vai gosta da explicação.

      Excluir
  8. Maria Eugênia R dos Santos

    Quando aquele casal subiu ao altar ou compareceu ao cartório de registros, oficializaram ali um compromisso societário, com direitos e deveres de responsabilidade entre as partes, um estatuto de uma nova empresa de amor que estava sendo fundada naquele momento.

    Com o passar do tempo, com a certeza de que a empresa era estável e demonstrava boas perspectivas de crescimento, resolveram naquele final de semana fazer uma reunião de S&OP e planejaram então expandir seus negócios. Vamos ter um filho lindo? Disse a mulher ao esposo que concordou prontamente com a sócia. Enviaram então seu pedido para uma entidade superior que por sua vez concedeu ao departamento de Engenharia Natural elaborar um pequeno ser, através de misturas de componentes nobres do homem e da mulher, depositados em uma magnífica máquina chamada corpo humano, que começou à desenvolver o produto desejado. A mistura de duas matérias primas conhecidas como DNA foram reagindo entre si e formaram-se então este novo conceito, preservando algumas características comuns de cada matéria prima. A viagem da evolução industrial começou naquele momento.

    Os sócios precisavam dar à este novo ser humano um part number, um nome pelo qual pelo qual aquela criação fosse conhecida e identificada como sendo pertencente àquela empresa/família. Patentearam a nova criação como sendo daquele casal no cartório mais próximo de suas casas.

    No sistema operacional de casa, criaram a estrutura do part number que deveria ser composta de tudo o que era necessário para manter aquele item funcionando bem e cada vez melhor. Dentre os itens da Bill of Materials, constavam no sistema roupas, materiais de higiene, carrinho para transporte, bancada para setup de fraldas, alimentador de linha em forma de mamadeira, suporte vibratório para fazer a maquininha dormir (braços da mãe e do pai), pomadas especiais que serviriam para não deixar assar o bumbum do bebê, termômetro para aferir a temperatura da nossa “maquininha”, e uma lista de operadores tomariam conta desse patrimônio, nunca deixando-o sozinho.

    Nem é preciso dizer que nos relatórios gerenciais de curva ABC por demanda, os pacotes de fraldas eram os campeões da lista. Para evitar exageros, o estoque de fraldas foi dimensionado pelo Kanban que, conforme o uso, a marcação do guarda roupa em amarelo indicava o ponto de disparo de um novo pedido, que, comprando em um lote mínimo, abastecia de uma vez o estoque, com preços mais convidativos e com prazos de pagamento melhores.

    O MRP era rodado semanalmente, com periódicas revisões da “BOM” (Bill of materials) pois a cada mês que se passava, os componentes para manter a maquininha funcionando tinham também modificações de tamanho, marcas e novas necessidades.

    Parece uma coisa doida, mas preste atenção se você não tem umas contas a pagar, a receber, estoques, engenharia, recursos humanos, qualidade e todos os outros departamentos de uma empresa dentro da sua casa.

    Boa semana a todos e cuidem-se para que em qualquer balada em que se abuse das bebidas, uma nova sociedade temporária seja formada, colocando um novo part number no mundo sem que este esteja devidamente planejado no S&OP. Estas sociedades formadas logo na primeira noite arcam com as conseqüências, ou abandonam suas empresas sem maiores satisfações.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maria Eugênia R dos Santos

      Pessoal, eu achei este caso acima interessante, pois mostra a utilização dos conteúdos abordados na disciplina Logística em sala de aula sendo aplicado na "nova empresa de amor ", o casamento, produto dessa empresa o filho.
      http://ogerente.com.br/rede/logistica/mrp-na-empresa

      Excluir
  9. Pessoal do Blog COMPRAS por favor participem, e importante a participação de todos. VAMOS BLOGAR PESSOAL!!!

    ResponderExcluir
  10. De acordo com livros e sites lidos, achei que o conteúdo sobre o assunto está perfeito, principalmente se for comparado com o conteúdo do site da wikipédia (enciclopédia). O conteúdo do "grupo" está totalmente de acordo com as informações que são encontradas em qualquer tipo de consulta (livro, mídia, etc.), e como todo sistema ou situação, ambos possuem sempre vantagens e desvantagens e, ou lados positivo e negativo. Então vi, na minha opinião, que o sistema MRP tem como vantagem o não acúmulo de estoque, ou seja, a diminuição nos custos; já por outro lado, vejo como desvantagem, a falta de estoque no sentido de uma falta de material ou algo necessário, daí perde-se a venda ou atrasa-se a mesma (resumindo: perda de cliente), assim como também o aumento de custo, pelo fato da compra de materiais em pequena quantidade, mais gasto no transporte, entre outros. Sei que o sistema é até essencial, de certa forma, porque traz muitos benefícios a empresa, ou seja, a ajuda muito, mas, como já disse: todo sistema possui, na sua maioria, vantagens e desvantagens.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vanessa continue participando. No contexto o MRP (planejamento das necessidades de materiais). A partir do conhecimento de todos os componentes de um determinado produto e os tempos de obtenção de cada um deles, podemos, com base na visão de futuro das necessidades, calcular o quanto e quando se deve obter de cada item, de forma que não haja falta e nem sobra no suprimento das necessidades.

      Excluir
  11. Primeiramente parabenizo aos participantes do Blog pelo conteúdo aqui postado. Um conteúdo de grande inportancia para o setor de compras. Como conceitos básico pode-se dizer que o MRP tem como objetivo definir as quantidades e momentos em que cada item deve ser produzido ou comprado, a fim de atender o planejamento da produção, e para isso ressalta que as estruturas de produto devem estar perfeitamente definidas assim como os tempos de obtenção ou fabricação, além das informações sobre inventários que deve ser a mais acurada possível. O MRP realiza cálculos por meio da projeção de inventários em função do planejamento da produção. Um dos pontos importantes é o tempo de resposta do sistema, qualquer replanejamento que venha a ser necessário é facilmente visualizados os seus impactos nos inventários, mostrando a viabilidade de tal replanejamento assim como as alterações que serão necessárias para atender os objetivos. O MRP trabalha com as necessidades exatas de cada item, melhorando assim o atendimento aos consumidores, minimizando os estoques em processo e aumentando a eficiência da fábrica, obtendo assim, menores custos e conseqüentemente alcançando melhores margens de lucro. Mas para tudo isso, é fundamental que sejam estabelecidos corretamente todos os parâmetros do sistema.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sil Santos continue postando suas opiniões sobre o conteúdo abordado. Lançamos o caso da "nova empresa de amor ", leia você vai gosta da explicação.

      Excluir
  12. Adail E. S. Júnior

    O MRP é mesmo uma ferramenta ótima, pois possibilita que às empresas calculem os materiais em estoque mais rapidamente e verificando de forma antecipada a sua reposição, assegurando que os mesmo sejam providenciados no tempo certo e na quantidade certa, de modo a que se possa executar os processos de produção, o modo do MRP trabalhar com as necessidades exatas de cada item, melhora o atendimento ao consumidor, ele facilita a minimização do estoque e auxilia dessa forma na eficiência da empresa. Porem ele pode aumentar o custo de aquisição, devido a questão do MRP manter o estoque o minimo possível é necessário adquirir materiais em menores quantidades e com isso também traz um aumento no custo de transporte, por conta de ter que transportar mais vezes e em menor quantidade e também não dá para ter descontos por grande volume comprado. Há também o risco de faltar produtos, pois em caso de atrasos na entrega, os estoques reduzidos podem não dar conta.
    Em meio a esses fatos o MRP se faz necessário devido as vantagens que traz para empresa que o utiliza, e as desvantagens podem ser reduzidas através de uma parametrizacao do software utilizado.

    ResponderExcluir
  13. Gente, por favor, verifiquem se as minhas postagens estão indo para o span, pois já publiquei algumas vezes, mas no outro dia quando venho conferir não está mais aqui. Vou tentar mais uma vez!!!

    ResponderExcluir
  14. A responsabilidade básica do administrador é contribuir ao máximo com a empresa, para que alcance suas metas, para isso é necessário que se conheça técnicas de planejamento, para definir o que e quando fazer, organização, definindo quem irá fazer o que , direção cuidando das ações das pessoas e controle para avaliar se o que se espera dos funcionários está sendo atingido.

    O planejamento é uma importante ferramenta utilizada pela administração, responsável pelo sucesso na gestão das empresas. No planejamento deve-se considerar a missão da empresa, e a partir dela desenvolver planos de ações e atividades específicas.

    Na logística, o planejamento estratégico surge com elementos que interagem em termos de troca e custo total para organização, cabendo a logística formular sua própria estratégia. Além de planejar, executar e controlar o fluxo de armazenagem dos materiais, ela é responsável por outras ações, principalmente quando se trata de planejar as necessidades de materiais, onde visa atender as demandas dos produtos, sabendo o que será produzido e a quantidade para que se possa planejar sua necessidade material, não ocasionado a falta de produtos para a produção, pois produção parada gera custos fixos e o mercado fica desabastecido com os produtos.

    Para que tudo saia como o planejado a logística utiliza uma ferramenta como auxilio: O MRP. O MRP é uma ferramenta que auxilia a empresa a calcular a quantidade materiais que será utilizado e o momento que isso ocorrerá, para isso é necessário conhecer o componentes dos produtos, utilizando-se como base para um bom começo o design do produto. Para que esse cálculo seja executado de forma correta a empresa deve manter os dados dos produtos atualizados e em sistemas podendo ser verificado e atualizado de acordo com a necessidade.

    O MRP é um método que possui muitas vantagens, entre as quais são: controlar a produção, diminuir o estoque e estruturar os dados e procedimentos, porém também apresentam algumas desvantagens, devendo ser consideradas antes de escolher o método MRP, ele não otimiza os custos de aquisição dos materiais, como visam a baixa quantidade de estoque os materiais tem que ser comprados em pequenas quantidades, aumentando o custo de aquisição e maiores custos de transportes, os níveis de proteção de estoque são pequenos e possuem pacotes de software com difíceis adaptações a situações específicas.

    ResponderExcluir
  15. Maria Eugênia R. dos Santos

    PESSOAL a nosso discussão sobre MRP (planejamento das necessidades de materiais)está chegando ao fim, pois o encerramento da disciplina Logística está previsto para próxima semana, portanto quem ainda não participou faça seu comentário pois o professor HELDER está analisando a participação de todos.

    ResponderExcluir
  16. Primeiramente gostaria de parabenizar o grupo pelo esforço dispensado. Realmente, o conteúdo do blog está impecável. Quando, no início do texto, afirma-se que "a função principal do planejamento de necessidades de material (MRP) é assegurar a disponibilidade de material", vocês sintetizam bem a importância dessa ferramenta. Ora, a interrupção da produção é, provavelmente, o maior problema que a produção pode enfrentar. Isso se deve ao fato de que uma ruptura nesse setor atrase todo o andamento do pedido, o que, certamente, deixará o cliente insatisfeito. Dessa forma, o MRP age pontualmente, de forma integrada, para garantir que o material esteja disponível na hora certa e na quantidade certa.

    ResponderExcluir
  17. Posição do MRP na cadeia logística
    cadeia logística inicia em vendas e distribuição com gestão da demanda. Em vendas e distribuição, as ordens do cliente com as necessidades reais do cliente são recebidas diretamente do mercado. Na gestão da demanda, as vendas são planejadas antecipadamente, através de uma previsão de vendas. As necessidades independentes previstas (ou seja, a demanda do produto final, montagens, mercadorias comercializáveis e peças de reposição) criadas através dessa informação acionam o MRP. Para atender a essas necessidades, o usuário deve calcular as quantidades e datas de reabastecimento, além dos elementos de suprimento correspondentes. O elemento de suprimento da execução de planejamento é a ordem planejada ou, para o suprimento externo, a requisição de compra. Os dois são elementos de suprimento de planejamento interno que podem ser modificados, reprogramados ou eliminados a qualquer momento.

    Se um material for produzido internamente, o sistema também calcula as necessidades dependentes, ou a quantidade de componentes necessários para produzir o produto final ou a montagem, através da explosão da lista técnica. Se ocorrer uma falta de material, serão criadas ordens planejadas em cada nível da lista técnica para atender às necessidades.

    Assim que o sistema terminar de calcular quantidades e datas, esses elementos planejados de suprimento serão convertidos em elementos exatos de suprimento: eles são convertidos em ordens de produção para a produção interna e em pedidos para o suprimento externo.

    O progresso da ordem para materiais produzidos internamente é controlado pela ordem de produção. A ordem de produção contém procedimentos próprios de programação, planejamento de capacidades e administração de status. A contabilidade de custos também é executada através da ordem de produção individual.

    Os materiais supridos externamente acionam o procedimento de compra. Nesse caso, o usuário deve ter selecionado fornecedores adequados ou ter redigido contratos básicos.

    As quantidades colocadas em disponibilidade pela produção ou por suprimento externo são postas em estoque e administradas pela administração de estoques.

    ResponderExcluir
  18. O MRP funciona de maneira a prever Necessidades materiais, por esse motivo várias empresas adotam esse mecanismo para otimizar a produção e reduzir custos.

    ResponderExcluir
  19. Galera adorei a parte onde fala das vantagens e desvantagens do MRP.

    ResponderExcluir
  20. Também segundo Correa, 2000, o objetivo dos sistemas MRP é ajudar a produzir e comprar apenas o necessário e apenas no momento necessário (no último momento possível), visando eliminar estoques, gerando uma série de encontros marcados entre componentes de um mesmo nível, para operações de fabricação ou montagem e hoje o mercado conta com diversas empresas que fornecem softwares de fácil manuseio e que se adéquam a diversos tamanhos de empresas.

    ResponderExcluir
  21. Vantagens de um MRP:

    Instrumento de planejamento. Permite o planejamento de compras, como já visto, de contratações ou demissões de pessoal, necessidades de capital de giro, necessidades de equipamentos e demais insumos produtivos.
    Simulação. Situações de diferentes cenários de demanda podem ser simuladas e ter seus efeitos analisados. Ë um excelente instrumento para a tomada de decisões gerenciais.
    Custos. Como o MRP baseia-se na "explosão" dos produtos, levando ao conhecimento detalhado de todos os seus componentes, e, no caso do MRP II, de todos os demais insumos necessários à fabricação, fica fácil o cálculo detalhado voltado justamente para o custeio dos produtos.
    Reduz a influência dos sistemas informais. Com a implantação do MRP, deixam de existir os sistemas informais, muitos usuais nas fábricas ainda hoje. Nesses sistemas a informação sobre um determinado produto por vezes fica armazenada "na cabeça de Fulano".

    ResponderExcluir
  22. Maria Eugênia R. dos Santos

    Pessoal o nosso debate sobre MRP(planejamento das necessidades de materiais) está chegando ao fim, espero que todos tenho ampliado os seus conhecimentos sobre esse tema tão importante.

    A TURMA DE ADMINISTRAÇÃO MANHÃ DO 6º PERÍODO, AGRADECE AO PROFESSOR HELDER PELA IDEIA INOVADORA.

    Desde já queremos agradecer ao professor HELDER pela ideia inovadora da criação do BLOG, pois essa ideia despertou nos acadêmicos o interesse para as pesquisas,os debates, discussão, trocas de ideias, critica e elogios, desta forma ampliando o conhecimento sobre os conteúdo ministrado. contamos com novas ideia em Logística II
    O NOSSO SINCERO MUITO ABRIGADO PROFESSOR JOSÉ HELDER.

    ResponderExcluir